18% do receita do setor no país

A atividade empresarial e a vida do cidadão passam por intensa transformação digital acelerada pelo desenvolvimento de diversas novas tecnologias – internet das coisas, big data, impressoras 3D, robôs inteligentes, drones, inteligência artificial, modernos sensores e adoção em maior escala de tecnologias de informação e comunicação.

Estudo realizado em 2017 pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) coloca o Brasil em quarto lugar no ranking mundial de usuários de internet, com 120 milhões de pessoas conectadas.

Segundo o Ministério do Trabalho e Emprego, o estado dispõe de ampla variedade de estabelecimentos nos segmentos de software, serviços de TI, hardware e telecomunicações, envolvendo 67.643 empregados e 18% da receita gerada pelo setor no país. Adicionalmente, conta com inúmeras instituições de ensino e pesquisa voltadas à área de TI, como o Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), o Núcleo de Computação Eletrônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro, o Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) e o Instituto Tecnológico da PUC.

Parte considerável do mercado corporativo formado por empresas líderes nos seus segmentos, e que contam com grande estrutura e demanda de serviços de TI, está sediada no Rio de Janeiro, como a Petrobras, Shell, Chevron, Instituto de Resseguros do Brasil (IRB), Serpro, Dataprev, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Vale, além de bancos e instituições financeiras, companhias de seguros e resseguros, institutos de pesquisas, entre outras.

O estado oferece condições propícias – mercado/mão de obra/centros de inovação - para as empresas que atuam no setor da tecnologia da informação e comunicação realizarem investimentos visando a atender a demanda do mercado estadual e regional.