Interessado em dinamizar o segmento, o governo do estado criou no âmbito da Secretaria de Desenvolvimento Econômico na década passada, o programa “Rio é Design”, reunindo empresas privadas que já trabalhavam no segmento, que inclusive foi registrado e possui licença no INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial. Visa o Programa: a promoção do designer, a agregação de valor aos produtos e serviços produzidos no estado e a articulação junto aos municípios para design nos equipamentos urbanos, melhorando a sinalização.

Hoje inúmeros cursos de graduação são oferecidos pelas principais instituições de ensino superior do estado, refletindo a demanda e o interesse dos fluminenses em buscar sua graduação e especialização nas diversas atividades descritas.

Entendendo como de vital importância para o estabelecimento dessa cultura no estado, foram concedidos os seguintes incentivos fiscais para segmentos industriais relacionados com design, com foco na fabricação de produtos têxteis, artefatos e calçados de couro e assemelhados, joalheria, ourivesaria e bijuteria, oferecendo incentivo de ICMS de 2,5% sobre o faturamento realizado do mês de referência. Bases legais dos incentivos fiscais: Lei nº 4.182, de 29 de Setembro de 2003; Lei Nº 4.531, de 31 de Março de 2005 e Lei Nº 6.331, de 10 de Outubro de 2012.